quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

james dean




Aí residia a sua força e a sua virtude, aí era invergável e incorruptível, aí o seu carácter era firme e rectilíneo. No entanto, esta virtude trazia estreitamente ligados a si também o seu sofrimento e o seu destino. Acontecia-lhe o que a todos acontece: aquilo que por impulso da sua mais íntima natureza demandava e em que se empenhava com a maior pertinácia, era-lhe concedido, mas ultrapassando aquilo que ao homem é benéfico. O que começava por ser sonho e felicidade, redundava em amargo destino. O homem do poder destói-se pelo poder, o homem do dinheiro, pelo dinheiro, o subserviente pelo servir, o sequioso de prazer pela luxúria.


james dean




[hermann hesse, o lobo das estepes]

1 comentário:

נσниич disse...

Gajitos bons :b

Eheh
Blog giro ;O
Beijinho

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...