segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

jeremy mulkey




À dolorosa luz das grandes lâmpadas eléctricas da fábrica
Tenho febre e escrevo.
Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto,
Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos.

Ó rodas, ó engrenagens, r-r-r-r-r-r-r eterno!
Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria!
Em fúria fora e dentro de mim,
Por todos os meus nervos dissecados fora,
Por todas as papilas fora de tudo com que eu sinto!


Photobucket


[álvaro de campos, ode triunfal]

1 comentário:

Paulo disse...

ai, o Campos! quanto ao Jeremy... dedicou-se ao músculo. mas tem cá um boca, senhor! não só por isso percebo a "fúria fora e dentro de mim"!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...